Francisco Luis Brandão Teixeira do Rego


Desenvolvo pesquisa na área de construções de objetos e ações poéticas, buscando, através da comunicação do sensível, atingir intimidades. Utilizo as tradições como matéria prima, subvertendo-as e propondo partilhas de pessoalidades como um de meus conceitos operacionais. Um pensar artístico que se materializa pelas ambiguidades, disfunções e periculosidades. O objeto é corpo e a matéria, diálogo.

 

Fabu(r)lar | Unglory Desires

Preciso reforçar que fabu(r)lação e imaginação não combinam com as proibições e os testemunhos. Buscando outras formas de memória ou perpetuação, às vezes precisamos esquecer para re-narrar, para utilizar a memória mais como matéria prima do que como perpetuação de poder. Essas vontades foram disparadas pelo nome ‘Tivicay’ (do meu medicamento para conter o vírus HIV), que sonoramente, de certo modo, me leva ao testemunho de uma queda e, nesse processo, me instiga a fabu(r)lar possibilidades outras de movimento. Foi nesses verbos que percebi algumas irregularidades da palavra e, por isso, ela não cabe em uma linha da bula que vem acoplada às caixas de comprimidos. A palavra, como inteireza, se quebra, deixa cair uma letra à sua homônima, no sentido de que cada linha nos permite uma nova possibilidade interpretativa. 

Técnica e/ou materiais: impressão a laser sobre receita de medicamento de tratamento da infecção pelo HIV.

 

Suporte/dimensões: papel 15 x 61 cm.